Versão em Português English Version

 
Veja Também
 

Resultados

A K2 ajudou a conduzir dois dos mais bem sucedidos projetos de turnaround no Brasil

- Universidade Estácio de

  • Em abril de 2006 Estácio era uma empresa filantrópica sem fins lucrativos, enfrentando endividamento, baixa rentabilidade e mercado competitivo
  • Ajudamos a recuperar a empresa em dois anos e meio de trabalho (diagnóstico, planejamento e implantação de ações) com uma equipe de 10 consultores
  • O resultado operacional evoluiu de R$ 55 milhões em 2005 para R$ 161 milhões em 2007 (ajustado a impostos)
  • O caixa saiu de uma posição negativa de - R$ 65 milhões em 2005 para R$ 229 milhões em 2007
  • Transformação em sociedade com fins lucrativos e abertura de capital na Bovespa, com preço fixado em cerca de 17 x EBITDA
  • Entrada, via aquisições, no maior mercado do Brasil, a cidade de São Paulo
  • Volta do ciclo de crescimentorecordes sucessivos na captação e renovação de alunos
  • Cash-out de R$ 550 milhões (fora dividendos), com manutenção de 55% das ações -- emissão secundária no IPO, em agosto de 2007, da ordem de R$ 200 milhõesvenda de 20% para o GP, em maio de 2008, da ordem de 350 milhões


- Net

  • Entre janeiro de 2001 e janeiro de 2013 a NET sofreu uma acentuada perda de base de assinantes (cerca de 200.000). No 3º trimestre de 2003 a empresa auferiu o primeiro ganho de base em três anos
  • estrutura de vendas estava desmanteladalimitando-se ao uso de mídia e telemarketing receptivo, com vendas mensais inferiores a 8 mil assinaturas. O esforço comercial local foi reestruturado, com custos comerciais controladostendo sido atingidas vendas de 20.000 assinaturas mensais
  • terceirização de áreas críticastais como call center e TI, havia sido feita de forma desastradaFoi feita a contratação de novos fornecedores, com níveis de serviço superiores e gerando economias anuais da ordem de R$ 20 milhões
  • A base de clientes apresentava um churn rate de 19,6% ao anoAtravés da atuação ativa na retenção de clientes, o churn anual caiu para 14,2%
  • O EBITDA em 2002 foi de “apenas” R$ 179 milhões. Em 2003 ele superou R$ 300 milhões e em 2004 atingiu R$ 400 milhões (mesmas lojas)
  • Na mesma época foi desenhado e lançado o serviço Virtua, de acesso à internet em banda larga


Outros projetos relevantes:

- Criação da TAM Express
  • Era dogma no mercado brasileiro de remessas expressas que, para se ter sucesso, era necessário montar uma vasta rede de captação comercial via lojas franqueadas. O modelo do Correio foi replicado na Vaspex e na VarigLog, adicionando aviões cargueiros dedicados
  • Quando a TAM resolveu dar foco no segmento de remessas expressas, a K2 foi chamada para desenhar e implantar seu novo negócio, a TAM Express
  • A TAM Express optou por montar seu negócio sobre uma plataforma de custos o mais baixa possível: rede de representantes logísticos (um por praça), centralização de pedidos via call center único, equipe de vendas própria para atender grandes clientes, diferenciação de produtos (Próximo Vôo) e estrutura de ativos enxuta, sem aviões cargueiros
  • No seuano de funcionamento sob o novo modelo, em um mercado em retração, a TAM Express ganhou participação e aumentou seu faturamento de R$ 140 milhões para R$ 230 milhões
- Modelo de venda e distribuição da SKY
  • A SKY, no Brasil, era fruto de uma associação de gigantes de comunicação como News Corp, TCI e Organizações Globo
  • Apesar de uma entrada tardia no mercado brasileiro -- um ano de atraso em relação ao seu principal competidor -- a SKY se tornou a maior operação de TV por assinatura via satélite (DTH) da América Latina
  • Muito desse sucesso é creditado à estratégia de venda e distribuição dos decoders e antenas
  • A K2 foi a empresa escolhida para adequar (após a transição da operação da banda C para Ku) o modelo de distribuição e venda da SKY
  • No processo, a K2 assumiu a Diretoria de Operações da SKY, durante quatro meses, apoiando a transição da empresa para o seu novo modelo operacional
- Cisão da AVAYA
  • No dia 2 de outubro de 2000, cada ação da Lucent Technologies foi “splitada” em duas: uma da Lucent (com um novo valor) outra da AVAYA Comunication, uma nova empresa de tecnologia, voltada para o mercado de convergência de voz e dados
  • Dois dias depois, a AVAYA era incorporada ao índice S&P 500, que mede o desempenho das 500 maiores empresas transacionadas na Bolsa de Nova York
  • Na preparação desta cisão (spin-off) a equipe da Lucent empenhou meses de preparação febril
  • No Brasil, a K2 foi selecionada para apoiar a estruturação da nova empresa, o desenho de sua estratégia de mercado e a implementação concreta da separação entre as duas empresas
- Reengenharia de todos os processos de interface com o cliente na OI RIO
  • Como melhorar rapidamente os serviços prestados pela pior operadora do antigo sistema TELEBRAS -- a odiada TELERJ?
  • Esse era um dos principais desafios da OI, em 1999. Sucessivas tentativas de elevar o padrão de serviços da concessionária haviam fracassado e, agora, além da insatisfação dos clientes, a empresa corria o risco de multas e sanções graves, por parte da Anatel
  • A K2 foi a empresa escolhida para elevar a qualidade de TODOS os processos de interface com o cliente da OI RIO: instalações, reparos, serviços, atendimento em lojas e em call centers, de mais de 30 regionais e 3 milhões de assinantes
  • Entre algumas melhorias, após alguns meses de atuação da K2, a OI RIO consolidou seu serviço de atendimento telefônico de 15 sites para 2 (embrião da CONTAX) e quintuplicou o número de instalações (de 20 mil por mês para 100 mil)
  • Hoje a CONTAX é um dos principais clientes da K2